quinta-feira, 18 de novembro de 2010

A gigantesca e EMBLEMÁTICA familia BASTOS... parte 1

 VC SABE O Q PEDRO ROCHA, BIRINHA, TARCISiO, RAULZIN, CELITO REGMENDES, ALAN OLIVEIRA, BETO LELIS, DJALMA BESSA, DRA ELISANGELA FERREIRA, PETEKA, PEDRO DOIDO, SAVIGNY, DORISDEI,  ARMENIA,  ARNON BOLÔ, CÉLIA DE FILIPE, TAIANE DANTAS, MARIA DE DONA, JULIETA, JONATAS BASTOS, BIZIN, DORIVAL, ASSENI DE ZIDORO TEEM EM COMUM????  essa cambada toda pertence a FAMILIA BASTOS, uma das maiores e emblemáticas familias da CAATINGA DA REGIÃO DE IRECÊ E BEIRADA DO SÃO FRANCISCO entre barra e xiq-xiq, os BASTOS(  e sua numerosa combinação q vai dos paivas ao silvas, dos machados aos santos do oco do mundo e daqui de perto) tem por marca o sang quente, a inteligencia, o gosto pela politica e pelo poder...UM POUCO DA SUA HISTÓRIA, PARTE 1 
             POR VOLTA DA DECADA  DE  50 DO SECULO XVIII( talvez 1755) chega a salvador um jovem portugues de nome ANTONIO PEREIRA BASTOS, ali casou com a soteropolitana provalvemente filha de lusos  JOSEFA  MARIA DE MATOS ( parece q parte dos matos se estendeu tambem pra JACOBINA e depois pra MINAS GERAIS  em areas garimpeiras).
      Esse casal  mantinha laços de amizades e talvez parentesco com familias poderosas q possuiam terras, gado e escravos á beira do rio são francisco e foi para lá q  rumaram indo parar na FAZENDA GADO BRAVO uma das principais e badaladas do então termo( território) de XIQ-XIQ  e não muito distante da famosa vila da BARRA.
      É PROVAVEL q o casal BASTOS  se firmou ali como agregados da influente  e briguenta familia FRANÇA ANTUNES q era dona da fazenda MALHADA ali perto e de outras terras em xiq-xiq, barra, sento sé, pilão arcado, paratinga e ibotirama. ANTONIO BASTOS não dá pra saber mas  parte de seus filhos se tornaram VAQUEIROS E FEITORES  da fazenda  gado bravo, um deles era leandro p. bastos q foi casado com uma prima  chamada felizarda sousa nogueira cujo pai era IGNACIO SOUSA NOGUEIRA e a mãe LUZIA PEREIRA MATOS, certamente irmã de josefa mãe de leandro bastos. Os sousa nogueira parece ter vindo de salvador ou reconcavo ou jacobina  junto com os bastos ja ligados por casamentos, eles se fixaram  na barra e em xiq-xiq.
   LEANDRO BASTOS teve varios irmãos e irmãs, um deles ou delas uma delas tudo indica era mãe ou pai de ANTONIA PEREIRA DE MATOS, mulher q viveu parte da vida no ASSURUÁ( atual gentio do ouro) ao lado marido FRANCISCO PEREIRA ROCHA eles tiveram varios filhos e filhas, o mais velho era JOSÉ PEREIRA DA ROCHA conhecido por CAZUZA ROCHA o homem q comprou CANABRAVA  junto com o sogro venceslau p machado pai de isabel p rocha, prima carnal materna de cazuza, esse inclusive homenageou o pai ao ter o primeiro filho q passou o resto da vida com alcunha de CHIQUIN TORRADO, daí se tira o por q  de eu, os pedros rochas, alan oliveira, flavio dantas, savigny, dorisdei, raimundo lopes, véi dão da quixabeira, osvaldo alencar, armenia, maurilio de marta, delhão, celhona, bizin ihhh é gente gente, sermos do mesmo balaio, somos descendentes de cazuza rocha e isabel por varios de seus 12 filhos e consequentemente somos dos BASTOS LEVANDO-SE EM CONTA Q é  MUITO PROVÁVEL Q CAZUZA fosse  bisneto do português antonio p bastos e da soteropolitana josefa maria de matos( qdo vou ao pelourinho e adjacencias em salvador fiko a pensar onde morava essa minha suposta vó de décimo grau... genealogista gosta disso, sabe-se lá por q!!

   AH SIM e jonatas bastos, raulzin, beto lelis, deputado adão bastos, djalma bessa, birinha, mangangá de julieta entram onde nessa história HEIN ???... SE VCS QUISEREM VEM A PARTE 2, vou esperar comentários...

27 comentários:

  1. olá gente, MONTAR tal quebra cabeça historiko-genealógiko não foi nem tá sendo fácil, é coisa pra doido mesmo...
    os BASTOS são misturados aos machados desde qdo uibaí nasceu dois, filhos de VENCESLAU MACHADO casaram com duas filhas de ROMUALDO PEREIRA BASTOS da LARANJEIRA (clemente com a ranzinza luzia e antonio com a intrépida e "bruta" maria) MAS EU NÃO SABIA Q A MISTURA ERA MAIS COMPLEXA E LONGÍQUA...
    AS COISAS começaram a aparecer(e a "nevoar" na mesmo proporção)qdo ELISANGELA FERREIRA(essa criatura de central entrou no meio de uma mankanbira braba misturada com facheiro, cansanção e espinhos de toda ordem e abriu um clareira pra gente) na sua TESE DE DOUTORADO trouxe á tona a histo´ria de LEANDRO P BASTOS q não quis reconhecer dois netos e o caso foi pra justiça, nesse processo(q ta la na APEB)aparece o TESTAMENTO de leandro no qual ele diz q era filho de antonio p bastos " do reino de portugal" e joSEFA maria de matos da "cidade salvador", mas á frente TAIANE DANTAS em sua garimpagem me passou os dados do testamento de felizarda sousa nogueira esposa de leandro e certamente sUA primA carnal, com tais dados e com muitos outros q ja tinha por conta da minha peskisa na APEB , na diocese da barra( alfarrabios do sekulo xviii e xix) e de xiq-xiq , forneceram-me aparatos pra chegar a muitas conclusões e amuitas interrogações, por isso ha no texto um bukado " provalvlmente", "talvez", "certamente", "tudo indica"..

    ResponderExcluir
  2. ah sim, como venho fazendo, COLEI, SOBREPUS, AJUSTEI os dados q os velhos documentos me mostraram aos RELATOS DA NOSSA RIKA TRADIÇÃO ORAL, uma coisa se amalgamando a outra e e em alguns momentos uma negando a outra... por exemplo qdo tive em xiq-xiq , o povo da marreca ( vila de nova iguira)me dizia q a raiz deles lá era a mesma de uibaí segundo a tradição oral... pelos sobrenomes não conseguia fazer a relação pois la predomina os BONFIM, FIGUEREDO, MARÇAL SILVA assim como OS SOUSA NOGUEIRA e foi a partir desses q deu pra entender o por q do "mesmo povo", é q eles tem inicio com IGNACIO S. NOGUEIRA E LUZIA P. MATOS, luzia tenho quase certeza era irmã de JOANA MARIA DE MATOS, esposa antonio p bastos, todos esses se entranharam aos ROCHAS E MACHADOS, daí se conclui, o povo fala, os documentos dão a pista e as deduções tendem a confirmar como nesse caso ou então contestar a oralidade ou ainda bagunçar mais o processo...

    ResponderExcluir
  3. Hummmmmm! Então somos do mesmo balaio?!? Eu sou Bastos Machado , do povo da Laranjeira....
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo trabalho, se eu fosse da familia Bastos, iria me sentir privilegiado com esse estudo, partindo da raiz da arvore genealógica, é uma "viagem" fascinante.

    ResponderExcluir
  5. oxe leandro pelo q eu saiba vc é sim e por várias vertentes, se vc for o leandro filho de honorin vc é bastos até a medula...

    ResponderExcluir
  6. Celito, show esse post. Fui até montando a árvore genealógica graficamente, pois de tanta informação ficava até perdido em certos momentos. Agora estou ainda mais curioso sobre a segunda parte.
    []'s

    ResponderExcluir
  7. Aí sim, fomos surpreendidos. Não sabia disso.
    Geralmente sabemos do parentesco se troxermos o mesmo sobrenome.
    E até onde sei, o povo de meu pai não foge muito do Carvalho de Matos.
    A ligação vem dessa Joana e Josefa de Matos?
    Agora fiquei curioso! Risos...

    ResponderExcluir
  8. pois é leandro, vc é bastos pela linha "carvalho" ,penso q esse "matos" de vcs não tenha a ver com o matos de josefa (o de vcs vem de uma familia negra q chegou aqui no tempo da maniçoba oriunda de do trecho miguel-calmon mundo novo, talvez de gente q descendia dos escrvos dos MATOS q se toranram uma grande famila em jacobina, esses teem a ver com josefa sim, nesse caso o de vcs não pelo sang e sim pela simbologia ja q varios escravos adotavam o sobrnome dos senhores...

    ResponderExcluir
  9. já pelo lado dos CARVALHO aí sim vc pode se orgulhar de descender do HOMEM MAIS bem QUISTO e respeitado de uibaí do passado, eu me orgulho de descender dele e tive o privilégio de ouvir varias histórias ligadas ao mesmo através de minha vó jovita q era sua neta e foi criada por ele qdo criança...
    SEU NOME ERA FULGENCIO PEREIRA MACHADO um "cafuzo" filho de balduíno o filho negro de venceslau machado e de ana rosa da rocha pires ,uma cafuza neta de alberto pereira de carvalho ,luso, e da india tapuia felicia,casal q fundou tirirca hoje cidade de itaguaçu, um filho desse casal chamado pedro pires ou pedrão tiririca era era reserva moral da comunidade, uma especie de lider não politico mas respeitado até por esses,sua mae ana rosa tinha o dom da cura com as ervas, em uibái ela er como uma xamã, seu filho fulgencio era carismático, dotado de alto senso justiça, honestidade, era agricultor, criador e foi vaqueiro qdo jovem, na falta de padre ele batizava e rezava as pessoas, sua mãe como falei alem do dom da cura pelas ervas, tinha pela reza, minha mãe herdou tal carateristica, uma filha de ana rosa(pulu de antõe do gado)madrinha de vó jovita ensinou rezas" de cura a minha mãe, é uma pena q sou ateu senão seuguria tal tradição q tá se estinguindo por

    ResponderExcluir
  10. fulgencio machado era leandro o avô de tua avó q morava no CANOÃZINHO DE P DUTRA lugar q foi fundado pelo avô dela, virginio procopio de carvalho, daí o carvalho de vcs, virginio veio da tiririca, em uibaí casou com josefa machado neta de venceslau, virginio tambem era neto do casal alberto e felicia acima mencionados, a mãe de tua vó q se chamava adeltrudes era filha de fulgencio e maria ritta p da rocha,essa era prima carnal do marido "veí fulugenço"..
    MARIINHA de fulgencio era uma mulher fria, canguinha , bruta, tirada e inteligente, ela era filha de cazuza rocha( o q fundou uibaí com o sogro venceslau) q provavelmente era bisneto do casal antonio bastos e josefa matos, por outro lado, ana rosa mãe de fulgencio, era do povo da "nega do capão",uma negra q teve filhos com os PEREIRA DA ROCHA familia q se entranhou aos bastos qdo eles chegaram por aqui ou ja era misturada desde portugal...

    ResponderExcluir
  11. como diria o Fastão: ô locô bixo! rsrs
    É sempre bom ter uma aula de historia da sua familia... deu pra compreender +- as raízes da familia Matos. Muito bom...

    ResponderExcluir
  12. acho ótimas estas oesquisas. Sou da família BASTOS de MINAS GERAIS.MEU NOME É maria APARECIDA bastos. ATÉ ONDE SEI, É QUE VIERAM TR~res irmÃOS DE PORTUGAL, UM FICOU NO RIO, UM VEIO PARA MINAS E OUTRO FOI PARA A BAHIA, E AÍ, QUEM ESTÁ CERTO?

    ResponderExcluir
  13. Esqueci-me de dizer que sou filha de Poços de Caldas, Sul de Minas gerais.Maria Aparecida Bastos.

    ResponderExcluir
  14. fiquei feliz porque eu sou tambem um BASTOS
    eu vim da familia maximos bastos

    ResponderExcluir
  15. MUITO LEGAL TODO ESSE SEU ESTUDO COM A FAMILIA BASTOS FICO FELIZ POR FAZER PARTE DESSA GRANDE FAMILIA........

    ResponderExcluir
  16. Jose Maria Paço do Lumiar MA-Gostei muito desse estudo sobre a família Bastos,fasso parte desta familia q vivia em Icatú interior do Maranhão meu avô se chamava Cipriano Bastos e meu pai Matias Bastos.gostaríamos muito de nos comunicar com outras pessoas q fazem parte dessa familia.Acredito ser bisneto do capitão Henrique de bastos.Espero conseguir alguma informação.Obrigado

    ResponderExcluir
  17. Sim mais cadê a tal arvore?
    Você deve saber que exixte um livros os Bastos

    Jorge Rocha

    ResponderExcluir
  18. minha mae tem um tio que se chama Edmundo Bastos , foi prefeito de Gentil do ouro trez vezes, hj mora no Rio de Janeiro, minhas tias irma de minha mae foram morar com ele, e nunca mais voltaram, meu avô se chamava Jose Bastos, mas era filho bastardo do meu bisavô, que nao sei o nome, da familia bastos que veio dessas bandas de onde fala da Bahia, isso é interessante, antes nao tinha feito uma pesquisa pra saber de onde vem meu sobrenome, agora tá pra ter uma ideia.obrigado, meu blog é izaquebastos.

    ResponderExcluir
  19. Sou Bastos. Pouco sei sobre a história da minha família embora tenho muita vontade de saber detalhes. Meu bisavô era um fazendeiro de gado e cacau chamado Joaquim Romão Ferreira Bastos e meu avô Antônio Alberto bastos, minha avó Eulalia Alice Oliveira Bastos ( conhecida com lalinha). Adoraria detalhes de tudo

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Bem, minha Bisavó era da família Bastos, veio de Minas para o interior da Bahia. Neste dia 22/12/2012 articulamos um evento da família Bastos, foi muito legal.
    Porém creio que o sobrenome Bastos é tão comum em Portugal como o Silva aqui no Brasil, provavelmente muitos vieram ao Brasil na época do Brasil colônia. Possivelmente, nem todos que carregam o sobrenome "BASTOS" tem o mesmo sangue. Mas decidimos fazer nosso próprio evento, mas este ano mais organizado, com camisas e outras coisas mais.

    ResponderExcluir
  22. oieee!!! tbem sou da familia dos Bastos !!! A minha familia paterna da Boca d'agua do Uibai somos Bastos com muito orgulho!!!

    ResponderExcluir
  23. Sou BASTOS por parte do meu pai Anizio Pedreira Bastos, que é filho de Tiburcio Pedreira e Honorina Bastos, oriundos da localiddae de Italegre de Baixa Grande-BA. Ele saiu de casa e nunca mais deu noticia, indo para Minas e depois para Vitória-es, onde conheceu minha mãe e se casaram, recentemente olhando velhos documentos da familia encontramos estas referências. catonho.bastos@bol.com

    ResponderExcluir
  24. Meu avo se chamava Gesolino Pereira Bastos e era baiano, provavelmente era descendente do tal Antonio Pereira Bastos, tanto que colocou o nome de um de seus filhos de Antonio Pereira Bastos, meu tio hehehe...

    ResponderExcluir
  25. Olá ! Sou Adriano Sacramento Bastos, sou filho de Genair Jorge Bastos, Neto de Sebastião Bastos Filho e bisneto de Sebastião Bastos. Eu sou nascido em Vitória - ES, mas meu avô e meu pai, são mineiros de Aimorés. Meu avô veio de lá quando seus filhos eram ainda pequenos, e construiu a sua vida aqui, no municipio de Cariacia - ES.
    Estou buscando mais sobre a historia de nossa família, e fico feliz quando encontro outros troncos desta arvore. Parabens, e que cada um que passar poraqui deixe um pouquinho mais, a ser acrescentado.

    ResponderExcluir
  26. EU, S0U GERALDO DE SOUZA BASTOS FILHO, E O QUE EU SEI É QUE MEU BISAVO ERA DE MUCUGE NA CHAPADA DIAMANTINA NA BAHIA EO SEU NOME ERA SEBASTIAO

    ResponderExcluir
  27. Boa noite Amigo! Meu nome é Wellington Lima de Oliveira. Mas a família do Lado de minha avó materna é bastos. Eles são da região de Macaúbas. O conteúdo que compartilhou aqui é muito rico. Como chegou a essas informações? Há algum registro público, livro, cartório ou são informações familiares? Tem mais documentos? Sei que a familia BAstos é Gigantesca lá em Macaúbas e queria saber como chegaram lá. Meu acesso a meus tios avós é meio restrito. Estou falando de São Paulo.

    ResponderExcluir